A Magia em todo lugar!


Grande livro de Transfigurações

Por: Faramir Spring D'grot

1° Edição: Julho/1598





Índice
Introdução
Capitulo 1 - O que é e para que serve
Capitulo 2 - Como usar
Capitulo 3 - Historia da Transfiguração
Capitulo 4 - Transfigurações simples em rima
Capitulo 5 - Conceituação e Introdução Básica
Capitulo 6 - Práticas Introdutórias de Transformação Pontual


Introdução
Após começar a lecionar em uma escola de magia que vosmece começa perceber o quão sua persona pode ensinar e o quão falta nos livros. Desde eu, Faramir, fundei está escola (Liceu Edoras de Artes Mágicas) a alguns anos tenho notado como os livros que temos publicados em nossa língua mãe são tão incompletos, fazendo-nos pesquisar vários livros antes de achar o conteúdo desejado.

Pensando nesta questão resolvi selecionar meus conhecimentos em transfigurações neste livro, que visa esclarecer as duvidas mais comuns dos alunos e servir de fonte para aulas dos futuros professores deste estabelecimento e quiçá, de outros.
Dedico esse livro aos meus alunos, e estou fazendo para facilitar os estudos.


Capitulo I - O que é e para que serve
Transfiguração é a arte de transformar objetos em outros, como por exemplo: transformar uma agulha em um palito de fósforo. A Transfiguração é uma das artes mágicas mais úteis. Com ela você pode transformar alguma coisa que não está usando em uma coisa que você precisa.

Outra utilidade dos feitiços de transfigurações são por exemplo camuflagem e disfarce, mas isso estudares mais profundamente em outros capítulos.

Capitulo II - Tipos de transfigurações
Transformação/Transfiguração: Existem dois sub-tipos de transformação, a objetiva é a transformação que altera os objetos, podendo transformá-los em outros objetos de massa igual ou semelhante, e a transformação animalesca, que é parecida com a objetiva, a diferença é que, além de ser mais complicada, funciona com animais, sempre transformando em outro animal de massa igual ou semelhante. Que possui dos diversos graus dependendo da complexibilidade do animal em questão, o feitiço fica mais difícil ou mais fácil.

Transmutação: É uma arte muito complicada , que consiste em transformar um ser humano em um objeto ou animal. Lembrando que seria impossível transformar uma pessoa de porte médio em um elefante, o máximo de massa ou peso que se pode acrescentar seria de 10 quilos, uma criança, que pesa 20 quilos, poderia, por um bom transfigurador, ser transmutada em uma ovelha que pesa 30 quilos, ou em um sofá de 30 quilos também.

Auto-transmutação: Para quem sabe transmutação fica mais fácil, consiste em transformar a si próprio em um animal ou objeto. Com as mesmas regras da transmutação, não é possível se auto-transmutar em algo com mais de 10 quilos do próprio peso.

Conjuração: A arte de criar, lembrando que nada se cria tudo se transforma, o melhor seria, alterar uma grande quantidade de moléculas gasosa em moléculas sólidas de um objeto (apenas possível “criar” matéria bruta, sem vida) muito difícil e requer muita concentração.

Evaporização: Também conhecida por desmaterialização, é mais fácil que a conjuração, pois consiste em reverter o processo, transformar as moléculas sólidas em moléculas gasosas. Exemplos: Evanesco, Liperamba e Flamarbo.

Translucidação: também conhecida como ilusionismo, é a magia que consiste alterar as luzes, modificando as cores disfarçando, aumentando ou até mesmo ocultando (invisibilidade) objetos, seres, animais e outros. O feitiço desilusório é um exemplo. Mas a translucidação também pode criar imagens e visões.

Transubstancial: A alternação de moléculas líquidas em outro tipo de moléculas líquidas, está ao nível da translucidação. É comum em festas e serve também para purificar lagoas e mares.


Capitulo III - Como usar
Para você poder transformar um objeto em outro, você irá precisar de uma varinha e muita concentração. Você terá que usar um feitiço de Tranformação, esse tipo feitiço é fácil de usar, mas requer muita atenção, concentração e habilidade, para você transformar um objeto, você terá que focar toda sua concentração no objeto que quer transformar, ao mesmo tempo conjure o feitiço e aponte sua varinha para o objeto que quer transformar. Mas se você usar o feitiço e não acontecer nada, é sinal que você não se concentrou. Para o feitiço dar certo é muito importante ter concentração, se você não se concentrar, muitas vezes o objeto pode se transformar em outra coisa que você não quer. Um ótimo exemplo disso aconteceu com o famoso preparador de poções argentino Carlitos Marons, que em 1596 tentou transformar uma cadeira em mesa, mas não se concentrou e a cadeira virou uma mandrágora que deu um grito mortal e acabou matando o homem.


Capitulo IV - Historia da Transfiguração
As artes de transfigurações é uma das artes primordiais da magia, desde os relatos mais antigos sobre magia, existem ligações com transfigurações, que é uma das magias mais simples, descobertas e usadas pelos povos bruxos antigos. Os Celtas foram uma das primeiras e mais notórias nações a usar a magia de transfiguração, transformando principalmente pessoas em animais .
Logo os Celtas foram os responsáveis por boa parte do aperfeiçoamento e também pela proliferação desta arte que acabou sendo uma das mais conhecidas pelos trouxas pelo abuso e uso excessivo que os celtas faziam desta magia.

Capitulo V - Transfigurações simples em rima
Os feitiços em rima visão aprimorar, efetivar e maximizar os efeitos de uma magia através de um conjunto de palavras em rima formando uma pequena estrofe como uma poesia. Essa também é uma das magias primordiais e cabeça das artes de criação de feitiços, por ser extremamente fácil, bastando ter criatividade, o que possibilita uma variação muito grande de feitiços e possibilidades para estes.
Abaixo estão listados alguns dos feitiços em rimas, que são alguns dos mais simples entre alguns dos tipos de transfiguração citados acima.

"Olho de Coelho, Arpa a tocar, Faça essa água, Vinho Virar!"
Efeito: Faz água se transformar em vinho.

"Chá de Madeira, Pé de Seringueira, Faça essa coisa, de qualquer maneira, Se transformar em uma chaleira!"
Efeito: Transforma objetos em chaleiras

"Bolo de Fubá, Pele de Gambá, Faça esse objeto, A cor mudar!"
Efeito: Muda a cor de objetos

"Dente de serpente, Água fervente, Faça com que o seu dente, Fique verde para sempre!"
Efeito: Faz com que o dente da pessoa fique verde por uma semana


Capitulo VI - Conceituação e Introdução Básica

A Transfiguração é uma disciplina muito importante para o conhecimento de um bruxo. Dentre as inúmeras artes mágicas que existem atualmente, a Transfiguração é uma das mais antigas do mundo. A arte transfiguratória consiste, basicamente, na transformação da matéria, ou seja, na reorganização dos átomos permitindo a alteração de objetos em seres e pessoas, e vice-versa. Também está dentro da Transfiguração o poder da conjuração, do desaparecimento, do duplicamento e da ilusão. Estes ramos são carteados, a principio, em dois grandes blocos de conhecimento. O primeiro bloco trata do campo das transformações, que, como o próprio nome diz, versa sobre as mudanças que um corpo (seja ele animado ou inanimado) sofre; e o segundo trata do campo da criação e do desaparecimento, que permite o bruxo conjurar, desaparecer, duplicar e iludir objetos.

É importante ressaltar que estes dois campos estão limitados e submissos a determinadasregras. Existem cinco principais exceções à Lei de Gamp, lei fundamental que rege os elementos concretos, que nos diz respeito à Transfiguração:

– 1ª exceção: "a Comida"; ela pode ser convocada se a pessoa souber onde achá-la. Em meio a isso a comida pode ser transformada e aumentada a sua quantidade; porém, não pode ser produzida comida "do nada".
– 2ª exceção: "o Ouro e os Elementos Preciosos"; eles podem ser convocados se a pessoa souber onde achá-los. Podem ser transformados, mas não podem ser duplicados, nem as suas quantidades aumentadas, tão menos produzidos.
– 3ª exceção: "o Dinheiro"; seja ele em moeda ou em papel, possui a mesma propriedade do ouro e dos elementos preciosos, mesmo que este dinheiro seja bruxo ou trouxa.
– 4ª exceção: "os Objetos Animados"; eles podem ser convocados se a pessoa souber onde achá-los, podem ser transformados e criados (embora não sejam duradouros), mas não desaparecidos (a menos que seu surgimento não seja de forma natural).
– 5ª exceção: "os Seres Humanos"; não se pode convocar uma pessoa, tão menos conjurar, duplicar ou desaparecer. Podem ser transformados ou criados a partir de uma ilusão.

Dentro da transformação, novamente o meio acadêmico divide este gênero em dois outrosgrupos: transformação pontual, que é todo e qualquer ato de realizar transformação em objetos, animais e seres humanos através de uma única característica básica, seja ela física ou organoléptica - o efeito final não altera todo o produto e sim apenas uma parte dele; e a transformação bruta, que é todo e qualquer ato de realizar transfiguração em objetos, animais e seres humanos. Em suma, são transformações que não se baseam em apenas uma característica, mas sim num conjunto delas, tornando-as ainda mais complexas.

A transformação pontual (ler com mais detalhe a capitulo VII) pode ser entendida e praticadaatravés do conhecimento que se tem da propriedade dos objetos, dividida em três substratos: propriedade organoléptica, propriedade física e propriedade química.

A transformação bruta (ler com mais detalhe a capitulo VIII) é aquela em que seus conceitos estão diretamente ligados ao Quadro de Fases criados pelo bruxo Marvin, o Tenebroso, na ocasião do Conselho de Magia Transfiguratória realizado em 1215, em Viena. Marvin também foi o criador do Quadro de Classes, primordial a toda realização de transformação.Ao unir os dois quadros, passando a se chamar Quadro de Classes e Fases, Marvin, o Tenebroso, passou a ser conhecido como o pai da Teoria das Transformações.

A transformação bruta (ler com mais detalhe a Unidade III) é aquela em que seus conceitos estão diretamente ligados ao Quadro de Fases criados pelo bruxo Marvin, o Tenebroso, na ocasião do Conselho de Magia Transfiguratória realizado em 1215, em Viena. Marvin também foi o criador do Quadro de Classes, primordial a toda realização de transformação. Ao unir os dois quadros, passando a se chamar Quadro de Classes e Fases, Marvin, o Tenebroso, passou a ser conhecido como o pai da Teoria das Transformações.

– Classes: Dedicação; Concentração; Destreza; e Controle
– Fases: Transformação de Objeto Inanimado para Objeto Inanimado; Transformação de Objeto Inanimado para Humanos ou Seres Vivos; Transformação de Humanos ou Seres Vivos para Objetos Inanimados; Transformação de Humanos ou Seres Vivos para Humanos ou Seres Vivos.

Conforme descrito acima, no campo da transformação existem quatro fases. Estas fases crescem de acordo com o nível de dificuldade. As classes são os atos que antecedem qualquer transformação, e todas elas devem estar bastante fixadas na mente do bruxo. Podemos dizer que o bruxo precisa aprender primeiro as classes para depois entender o funcionamento das fases. Se não tiverem dedicação, concentração, destreza e controle não serão necessário dar-se ao trabalho de aprender o resto. Aplica-se a estas fases os ramos da Animagia, da Objetomorfomagia e da Metamorfomagia, que serão vistas com maiores detalhes logo a seguir.

Capitulo VII - Práticas Introdutórias de Transformação Pontual


Como visto anteriormente, a transformação pontual se designa a transformar características únicas dos objetos (entende-se por objeto tudo que pode ser modificado, independente de sua essência). Para que o bruxo transforme esta característica - ou propriedade -, é preciso que haja a identificação correta, de acordo com o objetivo traçado. As principais propriedades que conferem ao bruxo este poder são as propriedades organolépticas, as físicas e as químicas.

Os estudos em Hogwarts, por serem mais simples, apenas dizem respeito às transformações que se utilizam o conhecimento das propriedades organolépticas. Estas propriedades são percebidas pelos cinco sentidos humanos. As principais propriedades deste conjunto são:

– Cor: a cor pode ser percebida pela visão. Nem toda matéria pode possuir cor, um exemplo de matéria incolor é a água e um exemplo de matéria colorida é um balão voando no céu. Para alterar a cor de um objeto é necessário que o bruxo balance duas vezes a varinha para cima e uma para baixo, e depois dizer o radical "Colore" mais a cor desejada. Não se tem informações a respeito do inventor deste feitiço, mas dizem ter surgido na Itália. Seu efeito é permanente, portanto a alteração se dá um contra-feitiço ou com a reutilização do mesmo.
– Sabor: é a propriedade percebida com o paladar; as substâncias podem apresentar ou não sabor como no caso da água pura. Para alterar o sabor de um objeto é necessário que o bruxo balance duas vezes a varinha cortando o ar em sentido diagonal, e depois pronunciar o radical "Sapore" mais o sabor desejado. Este feitiço só funciona em alimentos. Em caso de não acerto do feitiço, o sabor do alimento se altera para algo próximo ao sabor de meleca. A estrutura física do objeto não se altera, portanto é como chupar uma laranja, porém com gosto de bolinho de arroz, por exemplo. Seu inventor foi o inglês Bonaverius Strange. O efeito do feitiço é temporário, por isso, é considerado um feitiço mais doméstico do que industrial.
–Odor: é a propriedade percebida com o olfato; uma substância pode ter cheiro (odorífera) ou não (inodora). Para alterar o odor de um objeto é necessário que bruxo balance duas vezes, no sentido horizontal, e contrariamente, como um movimento de vai-e-vem, e depois pronunciar o radical "Odoreum" mais o odor desejado. Este feitiço funciona em tudo queexale odor, mas seu efeito é temporário. Seu inventor, segundo dizem, foi a grande bruxa Morgana.
– Brilho: brilho é a capacidade de um objeto refletir a luz, que também é percebida pela visão. A madeira é um exemplo de uma substância de baixo brilho enquanto que os metais possuem um alto brilho. Para alterar o brilho de um objeto é necessário que o bruxo faça o desenho de um triangulo no ar com a varinha, e depois pronunciar "Fulgeo Maximus" para um brilho maior e "Fulgeo Minimus" para um brilho menor. Em todos tipos de transformação é necessário a assimilação das classes concentração, dedicação, destreza e controle para que a ação se efetive.